MATÉRIA ORGANICA E MATÉRIA ORGANIZADA

É de conhecimento geral, que substâncias vegetais e ou animais, mortas, e às vêzes parcialmente mortas e mesmo ainda vivas (como é o caso de muitas plantas), constituem o que chamamos de Matéria Orgânica.

Os elementos constituintes da matéria orgânica passível de decomposição, normalmente não mais são dotados de vida ativa, e quando esta ainda existe, já está em fase final, como algumas plantas, que apesar de cortadas, ainda mantém vida residual, e mesmo os ossos dos animais, que mantém vida parcial durante longos períodos.

Adotamos o neologismo Matéria Organizada, para definir a matéria orgânica, a matéria organo-mineral e a matéria mineral, ordenadas de forma adequada a poder assumir vida própria.

Desta forma, teremos a Matéria Organizada imediatamente antes de um conjunto ordenado de compostos químicos assumirem vida própria, e portanto passarem a constituir um "ser vivo", e imediatamente após deixarem de ter vida própria.

Após a extinção da vida, a matéria organizada mantém-se durante pequenos períodos de tempo, após os quais, passa a ser simplesmente matéria orgânica, passível de biodecomposição.

Note-se que, embora denominemos este complexo de compostos como matéria orgânica, isto não significa que seja constituido apenas de compostos orgânicos.

Na sua constituição entram também compostos inorgânicos, elementos químicos unitários, como o Oxigénio e o Hidrogénio, e compostos organo-inorgânicos ou organo minerais, como o citrato de sódio, sal organo-mineral derivado do Ácido Cítrico, que é um ácido orgânico, com o Sódio, que é um elemento inorgânico ou mineral.

seta